O Produto Interno Bruto (PIB) é um indicador econômico de grande importância na mensuração da atividade econômica do país, ou de determinada região, e um dos principais indicadores de riqueza dos países.

Basicamente, o PIB é calculado pela soma de todos os bens e serviços produzidos no país, em determinado período. Entram no cálculo desde a venda de uma bala até a de um novo apartamento, além dos investimentos privados para aumento de produção e gastos do governo com investimento para a população.

Não entram na conta valores de venda de produtos intermediários ou de revenda, como o valor de venda do açúcar usado na fabricação da bala, ou o valor da venda do apartamento, se este for usado.

Mas, o que o crédito imobiliário tem a ver com tudo isso?

O crédito imobiliário entra no cálculo do PIB e assim é possível mensurar com precisão como anda a atividade do mercado imobiliário no país. A representação do crédito imobiliário com base no PIB é um importante indicador na previsão do crescimento da atividade no país e se há algum risco para investidores ou para a saúde da economia, por exemplo.

Se o crédito imobiliário possui baixa representação frente ao PIB, isto significa que há grande margem de crescimento do setor e ele não representa nenhuma ameaça à economia. Esta é a situação atual em que se encontra o crédito imobiliário no Brasil.

Atualmente no país, o crédito imobiliário representa apenas 8,1% do PIB nacional, uma representação ainda pequena se comparado a outros países emergentes, como o México, onde o crédito imobiliário representa e 9,1% e menor ainda se comparado aos países desenvolvidos, onde o crédito imobiliário normalmente representa mais de 50% do PIB.

Sendo assim, a representação do crédito imobiliário no PIB brasileiro mostra que o país está longe de ter uma bolha imobiliária, como vem sendo divulgado por especuladores. Além do PIB, indicador de maior peso, podemos citar outros fatores que praticamente impossibilitam a existência de uma bolha imobiliária no Brasil, como: os bancos têm critérios rigorosos na aprovação do crédito imobiliário, baixa inadimplência das mensalidades de financiamento e também não há mercado de refinanciamento de imóveis, como nos Estados Unidos.

Escrito por Casa Grande

Da equipe de conteúdo da Casa Grande.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: