A faixa de renda para financiamento do Minha Casa Minha Vida subiu de R$ 6,5 mil para R$ 9 mil.

Governo amplia Minha Casa Minha Vida para renda de até R$ 9 mil

Nesta segunda-feira (6) o governo anunciou a ampliação do programa Minha Casa Minha Vida (MCMV). As mudanças são referentes as faixas de rendas e o valor dos imóveis para o financiamento. O anúncio foi feito pelo ministro das Cidades, Bruno Araújo, que informou que a ampliação da renda irá beneficiar um número maior de famílias.

Antes da mudança, o limite de renda para uma família poder participar MCMV era de até R$ 6,5 mil por mês. Considerando a soma da renda de todos os familiares.

Veja como funcionará as novas faixas de renda do Minha Casa Minha Vida:

  • Faixa 1: para famílias com renda mensal de até R$ 1,8 mil (não houve alteração);
  • Faixa 1,5: limite de renda mensal passa de R$ 2.350 para R$ 2,6 mil;
  • Faixa 2: limite de renda mensal passa de R$ 3,6 mil para R$ 4 mil;
  • Faixa 3: limite de renda mensal passa de R$ 6,5 mil para R$ 9 mil.

O Ministério das Cidades informou que a taxa de juros da faixa 1,5 fica mantida em 5% ao ano. Na faixa 2, os juros cobrados continuam variando de 5,5% a 7% ao ano. Na faixa 3, para renda de R$ 4 mil até R$ 7 mil mensais, a taxa cobrada se mantém em 8,16%. Já para a renda familiar entre R$ 7 mil e R$ 9 mil, os juros sobem para 9,16% ao ano.

Para as famílias que se enquadram nas faixas de renda de 1,5 e 2 tem direito a subsídio do governo para a compra do imóvel. Na faixa 1,5 vai de R$ 45 mil para R$ 47.500,00 e, na faixa 2, de R$ 27.500 para R$ 29 mil.

Confira na tabela como ficará os juros para cada faixa de renda:

Governo amplia Minha Casa Minha Vida para renda de até R$ 9 mil

Teto do valor dos imóveis

O governo também modificou o teto do valor dos imóveis do Minha Casa Minha Vida. No Sul, Espirito Santo e Minas Gerais, o valor passará de R$ 200.000,00 para R$ 215.000,00. O teto será reajustado em todos os estados do Brasil.

Para ampliação do programa o governo vai exigir mais 8,5 bilhões a mais de subsídios e financiamentos. Desse valor, R$ 200 milhões serão da União, destinados a subsídios das faixas 1,5 e 2; R$ 1,2 bilhão virá de recursos do FGTS para subsídios e, outros R$ 7,1 bilhões, para financiamento de todas as faixas.

Novo teto para imóveis financiados do Minha Casa Minha Vida

Governo amplia Minha Casa Minha Vida para renda de até R$ 9 milO Ministério das Cidades anunciou também que tem como meta contratar 610 mil novas unidades habitacionais em todas as modalidades do MCMV em 2017. Na faixa 1, são 100 mil unidades no Fundo de Arrendamento Residencial (FAR), 35 mil na modalidade “Entidades Urbanas” e outras 35 mil na “Rural”. Para as faixas 2 e 3 está prevista a contratação de 400 mil unidades habitacionais. Já para a faixa 1,5 serão 40 mil moradias.

Ainda tem dúvidas de como funciona o programa Minha Casa Minha Vida? Baixe o nosso ebook e saiba tudo sobre o programa.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: