Aprenda a se organizar para morar sozinho e conquistar sua tão sonhada independência

Morar sozinho: 5 passos para sair da casa dos paisMorar com os pais pode ser uma alternativa viável para quando você precisa juntar algum dinheiro ou ainda não tem condições de se sustentar sozinho. Encontrar roupa lavada, comida na mesa e casa arrumada são mimos difíceis de abrir mão -te entendemos- mas, por outro lado, o privilégio de morar sozinho, ter uma casa só sua e poder esquecer a toalha molhada em cima da cama sem ninguém para te lembrar pode ser tudo que você deseja, por mais estranho que isso pareça. Isso é a liberdade batendo em sua porta, deixe ela entrar!

Você deve estar pensando que morar sozinho é um bicho de sete cabeças, afinal, as contas para pagar e o terror da vida adulta, os boletos, certamente botam medo em qualquer um. Mas calma, sair da casa dos pais pode ser mais simples do que parece, e é isso que vamos te mostrar.

Primeira dica: Faça um teste e veja como será morar sozinho

Para isso você pode usar um app de celular, planilha do excel ou anotar em um caderno mesmo. Ponha na ponta do lápis tudo o que você irá gastar nessa aventura, o valor do aluguel, das contas de água, luz e gás, custo dos produtos de limpeza, gastos com decoração e alimentação, enfim, faça uma pesquisa e procure imitar os hábitos da rotina de morar sozinho enquanto você ainda estiver na casa dos seus pais.

Além disso, lave suas roupas, pague as contas e tente fazer os serviços simples da casa, como trocar a lâmpada ou o botijão de gás, preparar o almoço ou limpar a geladeira.

“Não é só a organização financeira que importa. Há muito mais coisas para resolver, das quais não temos ideia antes”, reforça o educador financeiro Álvaro Modernell, sócio da empresa Mais Ativos.

Saber direitinho a quantia que precisará para se sustentar é muito importante nessa fase. Para ter uma base, você pode perguntar aos seus amigos ou pesquisar em canais do Youtube o quanto é necessário para os gastos essenciais da casa.

Não se esqueça também de deixar uma reserva para imprevistos que só aparecem quando você está morando sozinho, como a tomada estragada ou a lâmpada que queimou. Quando tiver ciente desses gastos, compare eles com o seu salário já subtraído de todos os descontos de INSS, Vale Transporte, FGTS, etc. Se você ainda está de pé, significa que você tem condições de se sustentar, agora se você quase caiu para trás, é sinal que é preciso procurar um aluguel mais em conta, mudar alguns hábitos, como abrir mão da Netflix (nãaaao), ou adiar um pouco mais o sonho.

Segunda dica: Tenha um dinheirinho guardado

Você nunca morou sozinho antes e nem imagina as mais variadas despesas que poderão aparecer. Nessas horas é preciso estra precavido. Ok, não é preciso ser nenhum especialista para recomendar que guarde algum dinheiro que possa ajudar na compra de móveis e eletrodomésticos, adiantar alguns meses de aluguel ou cobrir imprevistos, como a perda do emprego ou algum aparelho queimado.  Por isso, leve essa questão a sério!

Nossa recomendação é para que junte o equivalente a um ano de despesas, pelo menos, e que guarde de 50% a 70% do seu salário enquanto estiver morando na casa dos pais.

Terceira dica: Seja pé no chão e encontre um imóvel ideal que caiba no bolso

Ter em mente o tipo de imóvel que você deseja irá facilitar bastante as coisas. Perguntas como casa ou apartamento, se está perto da faculdade ou do centro, 1 ou 2 quartos devem ser respondidas nesse tópico.

Prioridades também precisam ser definidas, como explica Gabriel Braga do Quinto Andar, uma startup com o propósito de facilitar o aluguel de imóveis. “Você terá que fazer escolhas. Talvez precise alugar um apartamento menor para se enquadrar no preço e no bairro desejado, por exemplo”. Braga também orienta a visitar somente os imóveis que se encaixam no orçamento, para evitar frustrações e perda de tempo.

É bem provável que você demore tanto quanto seus pais demoraram para conquistar a casa ou o apartamento que eles têm hoje, por isso, não crie a expectativa que ao sair de casa o seu padrão de vida será o mesmo que era antes. Seja capaz de estabelecer objetivos adequados, afinal, só você conhece sua realidade.

Quarta dica: Deixa as regras claras se for dividir a casa com alguém

Muita gente pensa em chamar um amigo ou namorado(a) quando vai morar sozinho. Sem dúvidas ter a companhia de quem se gosta é fundamental para dividir essa nova fase da vida. Se sua ideia é essa, dividir as despesas da casa ou apartamento com alguém, combine antes como o esquema irá funcionar. Como serão a divisão de contas, quem será o responsável pela faxina e por lavar a louça, pela comida na geladeira e hospedagem de amigos e familiares.

As contas básicas, como água, luz, internet e materiais de limpeza podem ser divididas normalmente. Já gastos menos importantes, como cerveja e chocolate podem ser pagos individualmente.

Outra dica é checar as contas ao fim de cada semana para saber direitinho o que cada um gastou e acertar o que for preciso. Lembre-se: viver junto é como uma sociedade, cada um tem suas responsabilidades e hábitos, por isso é muito importante analisar bem quem será seu companheiro de apartamento para que a sociedade não se rompa antes do planejado.

Quinta dica: conheça o que é necessário para alugar um imóvel

É comum que os proprietários exijam de você um fiador ou que pague o seguro-fiança, título de capitalização ou depósito de aluguéis adiantado, entenda que essa é a única garantia dos proprietários, já que eles não te conhecem e precisam ter certeza que não levarão calote.

Outra exigência comum, é que a renda de quem vai alugar seja no mínimo três vezes maior que o valor do aluguel. Se for dividir os custos com alguém, você pode juntar seus rendimentos com o de seu amigo para cobrir essa exigência. Mesmo assim se ainda não der, uma terceira pessoa pode entrar como co-locatária.

Uma boa notícia para você, é que nesse período de recessão econômica do país, o momento é ideal para pechinchar e conseguir abaixar ainda mais os preços.

“Para isso, é legal contar a sua história, mostrar quem você é. O dono do imóvel precisa confiar em você”, ensina Braga.

Caso queira saber mais, você também pode baixar nosso e-book sobre Como alugar um imóvel residencial.

Agora que você já sabe melhor qual é o caminho para alcançar sua independência, é só correr atrás. Sucesso!

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: